Opinião: Mentiras e distorções sobre a crise econômica

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Há meses sinto a necessidade de refutar uma série de absurdos que se diz sobre a atual situação econômica do Brasil e do mundo , não sou especialista mas são tantos absurdos que não da para ignorar e  só agora consegui algumas horas para avaliar o que esta sendo repassado a opinião publica. A crise mundial existe, sim! Embora não seja a raiz da nossa crise. Por vezes governo, por vezes oposição, alegam por vários motivos de manipulação da opinião publica , hora que a crise não existe , hora que existe , os primeiros quando querem animar a economia, os segundos quando querem afirmar que a crise brasileira é só brasileira e a responsabilidade do buraco onde o país se encontra é do governo. Como de costume em tais espécimes, estão mentindo. A crise existe desde 2008 e não acabou. Pelo contrário, até 2013 ela tinha poupado os países que estavam sob o que chamamos de “guarda-chuva chinês”, que incluíam o Brasil, mas recentemente ela também atingiu a China, e daí todos foram afetados. A rota comercial China-Europa, maior do mundo, caiu 60%. O preço do petróleo e dos minérios despencou. São indicativos de crise de superprodução de comoditeis . Há uma superprodução mundial de materiais primas e petróleo. Ou seja, o mundo está produzindo em larga escala os estoques estão cheios a indústria de transformação controlam sua produção , esta estratégia afeta as industriais , o consumo de produtos e serviços caiu, as empresas , as famílias estão muito endividadas e para girar seus negocios busca créditos com taxas de juros bem mais altas . Quando as indústrias não vendem, colocam operários nas ruas, o que diminui ainda mais as vendas. É um ciclo vicioso ! Dessas crises só se sai ou depois de muito tempo de famílias empobrecendo, empresas falindo, ou depois de uma grande destruição de oportunidades, empresas e negócios causados, por exemplo, por uma grande guerra ou uma grande catástrofe. A China também é um componente da crise, mas não seu centro.Lembramos que a crise começou em 2008 nos países ocidentais, e daí acham que a China não tem nada com isso. Estão ambos errados.A superprodução é mundial, do mercado mundial, e não do mercado interno chinês. Ou seja, não é a economia nacional chinesa que está em crise. Mas a produção que gerou o desequilíbrio nas transações comerciais no mundo gerando o super ciclo do consumo e alavancagem da superprodução é obviamente puxado pela economia chinesa. A economia chinesa é atualmente superior à do resto do mundo, porque é mais adaptada a crise e escala de consumo. A China consegue ter autocontrole de suas imensas forças produtivas e daí nenhum país do mundo está conseguindo concorrer com seus produtos comercializa com o mundo inteiro tendo o maior mercado consumidor interno. Todo o mundo está sofrendo impactos causados pela dinâmica da economia chinesa, provocando desequilíbrio e desemprego em varias partes do mundo. A desaceleração da economia chinesa, mudança de rotas e estratégia das empresas chinesas voltadas para importação de matérias primas reduzindo o ritmo de consumo, e isso atingiu o Brasil diretamente.Mentiras sobre a ChinaPara justificar a superioridade chinesa sem confessar a inferioridade do resto do mundo apela-se para mentiras. A mais difundida é que a China consegue mercadorias baratas com trabalho escravo. Quanta ignorância há contida em uma mesma afirmação!!! Vamos por partes: a) O Brasil foi o país que mais teve escravidão e por mais tempo, e quando a escravidão acabou o Brasil era e continua sendo um país exportador de matérias primas ! Em resumo, um brasileiro achar que um país pode ser uma potência com base na exploração de recursos minerais é muita ignorância ou muita hipocrisia. b) Mesmo os brasileiros , que conhecem mais dos EUA que do Brasil, se soubessem ler, saberiam que o sul dos EUA é que era escravocrata, mas o norte, sem escravos, é que virou a parte rica, motivo pelo qual venceu a guerra civil. c) Todos sabem que diversas empresas ocidentais têm filiais em países , como o Brasil, e nem por isso conseguem concorrer com as mercadorias chinesas. d) Quando se estuda um pouquinho de revolução industrial aprende-se que o trabalho assalariado é muito mais barato que o trabalho escravo, pois o custo de manutenção de ambos é o mesmo, sempre reduzido ao custo de vida. e) Na verdade essa mentira sobre a escravidão chinesa tem origem em outra mentira. A notícia original, simplificada como escravidão, era que, em dólares, o trabalhador chinês ganha tão pouco que isso seria similar à escravidão. Na verdade não interessa ao trabalhador chinês o que o salário dele vale em dólares, mas sim o que ele consegue comprar com ele na China (aposto que será o custo de vida). Essa “notícia” portanto era só um sofisma, uma mentira da imprensa “brasileira”, só traduzida do inglês.f) A China tem uma economia superior porque completamente controlada e planejada. A moeda é desvalorizada (e olhe que ficou décadas sem se desvalorizar até esse ano), porque o governo chinês pode fazer isso! Se o Brasil, por exemplo, desvalorizasse o real daquele jeito, muitos preços subiriam muito, porque nossa economia é dependente, é fraca, é colonial, e pior, é controlada por especuladores e quase todos eles estrangeiros. Já para os chineses pouca é a diferença entre a moeda ser valorizada ou não, posto que a própria China pode fornecer subscidios a seus habitantes. Portanto, as mercadorias chinesas ficam muito baratas para exportação, e todas as divisas ficam sob controle do governo, que pode decidir o que precisa e o que não precisa ser importado. O Brasil não está endividado e sim quebrado sem credibilidade. Uma das desculpas do governo para evitar tomar medidas corretas como cortar gastos e aumentar o superávit . Fica parecendo que o Brasil está cumprindo com seu papel na área social e não pode deixar a população perder as conquistas , com a inflação voltando o governo gasta mais do que pode, e é essa mentira mesmo que os políticos hora no poder sustentam, uma vez que, assim como o governo, querem empurrar a CPMF para cobrir o rombo , com a diferença que no caso desses é só porque o patrão gringo mandou na pauta de assuste fiscal e retomada do crescimento. Quando se estuda o caso a sério nota-se que: a) Todos os países do mundo têm dívidas, e quanto mais rico o país mais endividado ele é! Até existem dívidas que inviabilizam um país, como o Japão, que sozinho deve 20% da dívida mundial. Mas os EUA, com uma economia bem maior que a japonesa, está convivendo (até agora) sem maiores problemas com uma dívida que é um terço de tudo que se deve no mundo. b) Em comparação com a maioria dos países, o Brasil deve é pouco. c) As famílias brasileiras apesar de estarem empobrecendo também devem a metade (em comparação com suas rendas) que o normal das dívidas das famílias europeias e americanas, e note-se que essas últimas ganham muito mais. Ou seja, devem o dobro se se faz uma comparação justa, mas em dólares devem muito mais que o dobro!Em resumo, essa não é a crise. A própria presidente, aliás, já o afirmou. d) Quase metade do orçamento da União tem sido gasto com dívidas e juros, mas isso não é um verdadeiro problema econômico nacional, ou seja, de toda a economia nacional, mas um problema sobretudo político, ou para ser mais exato, de corrupção, visto que boa parte dessa dívida é certamente ilegal por diversos motivos inclusive má gestão da economia . Não são medidas econômicas que resolvem esse problema, mas uma simples auditoria, com a respectiva prisão e o ressarcimento do que vem sido desviado ano a ano sem transparência . A falta de transparência desvaloriza os títulos do governo, dificultando o crédito no futuro, de forma que o melhor caminho é a auditoria mesmo. Os juros altos são em parte uma opção do governo para pagar mais a esses “credores”, o que não passa de uma forma legal de explorar o povo. A Petrobrás não tem nada a ver com essa crise A mentira mais idiota, e por isso provavelmente a mais difundida, é a que vincula a crise à Petrobrás! Difícil imaginar como pode existir tamanha ignorância sobre a realidade do mundo!Primeiro que a Petrobrás não está em crise. Foi roubada. E como afirmam é roubada desde que foi criada, como todo no planeta sabe. Nem por isso deixa de ser importante para o país . Ela esta sendo penalizada porque é controlada por políticos, que indicam seus diretores. Ela esta sendo punida porque não é transparente em sua governança corporativa. O problema da Petrobrás, muito pelo contrário, é que está dando lucros! A Petrobrás não é mais de fato uma empresa pública, porque vende ações na bolsa, e portanto está presa à necessidade de ter lucros. Precisamos de grandes empresas capazes de sustentarem crises econômicas endógenas e ou exógenas anos a fio, construindo nossa infraestrutura, saneamento , hospitais , portos , escolas etc. Só estruturas fortes são capazes disso. Mesmo que a Petrobrás estivesse endividada, em que isso geraria tal crise? Por que isso geraria inflação? Por que isso obrigaria o governo a cortar gastos e aumentar taxas? Quanta imaginação! O Brasil não se afastou dos EUA A imprensa controlada está repetindo que o Brasil se isolou economicamente, e que teria que se reaproximar dos EUA, que seria o mercado para nossa recuperação. Primeiro que nunca deixamos de vender muito para os EUA, ainda hoje um terço de nossas exportações. Porém, os EUA, e a China (outro terço), só compram comodities e matérias primas, e querem nos socar bugigangas industriais. Os EUA não estão assim tão bem que possam comprar mais de nós do que já compram, e nós não podemos deixarmos eles entrarem em nossa mercado com mais facilidade do que já entram..Na verdade o Brasil tem tentado ampliar seus mercados estrangeiros. Uma geração de velhos fracassados, vendidos, desprezados pela nação. A crise brasileira é criada em BrasíliaAgora que a crise mundial atingiu a China, atingirá o Brasil, mas a crise brasileira é outra coisa.Desde 2011 (vide artigo “Dilma está chamando a crise para o Brasil”, de 2011, no São João del Pueblo), sob a desculpa de conter déficits e combater a crise mundial que sequer tinha nos atingido, a presidente Dilma adotou uma política econômica completamente anti-nacional. Os motivos da traição não se sabe, mas é certo que Dilma hoje figura entre os grandes traidores da pátria, da laia de outros políticos que fizeram de tudo para continuar no poder.A “política” de Dilma consistiu em aumentar gastos, aumentar impostos e aumentar taxas, desde 2011. Em 2015, logo depois que tomou posse, alegando novamente a crise, aumentou mais gastos, quer criar e aumentar mais impostos e taxas. Em resumo, é o governo que está gerando a crise, envenenando o país, e como remédio ele receita mais veneno. Se observarmos toda a inflação dos últimos anos, notaremos que não foi criada por aumento da demanda, mas pelas taxas e cortes do governo! Os aumentos de preços das mercadorias esteve abaixo do aumento das taxas, que foram as que puxaram a inflação. Por que o governo faz isso? O fantasma da inflação e as eleiçõesSabe-se que poucas coisas tiram mais votos de um governo do que inflação. A inflação não é o maior dos perigos para uma economia, mas tanto para os investidores internacionais, quanto para os governos que precisam de votos, é o maior inimigo. Uma visão simplista se um investidor tem lucros de 10% e a inflação é de 10%, o lucro dele é zero! Sendo assim o objetivo principal dos governos, seja para agradar seus financiadores, seja para terem votos, é conter a inflação. É o que Dilma tentou, mas o tiro saiu, previsivelmente, pela culatra , com uma politica econômica equivocada que demorou a perceber seus erros.Dilma, assim como Aécio, como FHC, como Lula, como Itamar, como Collor, como Delfim Neto, como quase toda Brasília etc. não podem se desvincular de crenças que são dominantes entre nossas elites políticas. Podemos afirmar que vivemos praticamente sob um fanatismo liberal, desde a independência. Toda vez que as elites econômicas, sociais e políticas desse país podem governar coletivamente o país mergulha em uma política econômica sem continuidade e com sérios problemas de gestão do interesse publico. Só quando algum setor minoritário das elites, por alguma peculiaridade livre da crendice liberal, impôs uma ditadura é que se teve políticas econômicas eficientes. Segundo a crendice liberal, para conter a inflação é necessário não imprimir moeda (acreditam em mágica, e isso gente velha!), e para evitar a impressão de moeda seria necessário conter os gastos públicos. Trata-se do tipo mais infantil de liberalismo, que é o monetarismo. Dizem os petistas que eles não são monetaristas, que seriam uma coisa que chamam de “desenvolvimentistas”, mas é mentira, porque esse “desenvolvimentismo petista” continua se negando a cometer pecados contra o monetarismo, continua crente no mercado, e o máximo que propõe é abaixar os juros. Abaixar os juros é corretíssimo, mas está para lá de longe sequer de começar a resolver o problema. É ainda uma medida medíocre, dentro dos rígidos limites liberais. A crença monetarista é ridícula por uma série de motivos. Primeiro, porque não é só o governo que emite moeda existe um mercado também regulado pelo banco central que limita e garante as operações de credito do sistema financeiro. Quando um banco empresta dinheiro, está emitindo moeda, porque aquele dinheiro não existia de fato em circulação, só no papel, e é de qualquer forma duplicado, pois o banco ainda pode vendê-lo como dívida. Quando uma pessoa emite um cheque sem fundos, está emitindo moeda. Quando uma pessoa compra no cartão algo que não poderia comprar a vista está emitindo moeda e ai que se caracteriza a bolha financeira . Por outro lado, quando alguém entesoura dinheiro, ou seja, guarda em casa, ou manda para o exterior, ou mesmo se deposita em um banco mas o banco não consegue emprestá-lo, está retirando dinheiro do mercado. Em resumo, a economia é muito mais complexa do que sonham as pessoas normais.Mas se isso é suficiente para explicar porque temos inflação apesar de 4 anos dos responsáveis que nos governam estimulando uso de créditos que não tinham correspondente geração de valor e riqueza e agora pregam o arrocho e retirando dinheiro de circulação, não é suficiente para explicar porque elas mesmas criaram inflação aumentando as taxas sem parar. Claro que por parte dos governos estaduais e municipais, excrescências inúteis, a margem do principio federativo, sintomas da falência do regime de 1988 . Mas por parte da União a explicação tem que ser outra.Só existem duas, que não se excluem. A primeira, e mais forte, é que é preciso conter as contas publicas dado que o país chegou ao limite de sua depressão econômica, e do uso de sua infraestrutura como esta pode levar o país a falência ….. A crendice empresarial e a carência de energia elétricaA pressão do empresariado e das empresas para reduzir a carga tributaria não deve ter sido determinante na criação da crise, visto que os capitalistas que mandam não são mais os empresários clássicos, industriais, que se ressentem da atenção do governo e sim as empreiteiras e suas ligações institucionais. O problema foi mesmo falta de infraestrutura. Ou seja, o governo precisou sabotar a economia para ela não crescer até gerar apagões! Em 2014, ano eleitoral, com medo de apagões dado que tínhamos vivido uma seca (não podemos mais ter secas), o governo comprou de volta cotas de energia elétrica de indústrias, evitando demissões e empurrando o problema . Só mesmo o medo de um apagão em ano eleitoral pode explicar isso!E quem pagou a conta foi o povo brasileiro.Por que o país chegou em um ponto no qual não pode mais crescer e na verdade não consegue mais enfrentar uma crise hídrica que antigamente se chamava de seca? Acontece que a construção da infraestrutura de um país é cara e demorada, e muito mais demorada ainda para dar retorno aos investidores (décadas) e o estado esta falido. É por isso que nenhum país do mundo realmente se desenvolveu sem o Estado usar de sua força para construir ou impor a construção das bases da economia e n´s não temos como sair este buraco no curto e médio prazo. Mesmo EUA, Inglaterra e França, que são os únicos que os próprios liberais alegam que se desenvolveram por conta só do mercado, na verdade se desenvolveram sobretudo quando o Estado atuou, com protecionismo de suas matérias primas usando parte desta riqueza na construção de sua infraestrutura, geração de valor , dinheiro e força. A Inglaterra se desenvolveu sobretudo utilizando o carvão e sua revolução industrial, depois de leis pelas quais monopolizou a navegação, e o Banco da Inglaterra, do governo, financiou as plantações de algodão dos EUA. A França se desenvolveu sobretudo quando Napoleon bloqueou os produtos ingleses e reservou o mercado europeu só para a França. Foi só depois da guerra civil, quando o norte devastou o sul e depois impôs altas taxas alfandegárias sobre produtos ingleses, que os EUA se desenvolveram. Isso para ficar nos aspectos mais visíveis.O pior é que entre os políticos atuais mais fortes não se vê quem não seja crente liberal monetarista que estude o passado e proponha um modelo exequível para o país sair deste buraco. Em resumo, as coisas tendem a piorar pela miopia generalizada da classe politica . A oposição em 2014, em uma confissão de incapacidade, propôs que a forma de conseguir construir a infraestrutura do país é aumentar ainda mais os lucros dos particulares dos quais se espera essas obras e o que se viu é o escândalo da lava jato.Obviamente, como se nota na história do Brasil, só grandes empresas estatais eram capazes de construir nossa infraestrutura. Precisamos repensar o papel da Vale e várias outras empresas, resgatar a Petrobrás no mercado de ações e várias outras empresas de capital misto. Mas tudo isso é pecado! Cá estão nossos velhos políticos, cheios de fisiologismo e corporativismo, que estão deixando para futuras gerações uma de herança um país sem rumo, para nos ensinar que não haveria dinheiro para previdência , para saneamento básico e educação de qualidade com uma saúde a beira da falência , porque dinheiro é uma coisa mágica, que não se pode imprimir sem graves consequências para economia. E como eles precisam ficar com grande parte do que existe para se manter no poder, pois afinal são homens honestos de família, temos que ficar esperando os capitalistas mundiais, ou seja, os investidores terem a bondade de virem aqui construir nossa infraestrutura, com nossas mazelas, com nossos trabalhadores, porque esses gringos afinal, sortudos, têm esse papel mágico que nós não podemos imprimir! Mas como eles não querem vir e quase todos tem uma grande fobia a riscos, pois estamos esperando desde o século XIX, teremos que oferecer ainda mais a eles nossas matérias primas a preço de banana, e como já oferecemos isenções totais de impostos, já oferecemos nossos braços mais baratos da força de trabalho, acho que eles ainda vão demorar e esperar esgotarmos nossas reservas minerais… Uma forma cruel de conter a inflaçãoAs vezes se consegue conter a inflação com um arrocho salarial. Mas ai é só um truque – gera-se em uma crise ainda maior e responsabiliza se a crise externa pela inflação de dois dígitos e se mantém o arrocho salarial , buscando aumento da carga tributária e deixando a banda cambial flutuar para mascarar o déficit em contas correntes. Como os preços podem crescer? Mas é óbvio que é só um truque, e que não vai funcionar todas as vezes porque um dia a bolha estoura e o governo perde o controle. A única forma eficiente de lutar contra a inflação é gerando valor e melhorando a qualidade de vida da população! O país tem que crescer, sempre, não tão dependente de uma economia de mercado porque ela tem problemas reforçdos pela falta de credibilidade na condução da politica econômica e falta de ajuste nas contas publicas. Enquanto tivermos que suportar uma economia de mercado sem estarmos preparados, com déficit fiscal , e como nossa incultura isso vai demorar, temos que crescer sem parar, ou teremos os mais diversos problemas econômicos e daí sociais. Porém, como foi explicado acima estamos chegando a um limite, porque nos faltam energia, estradas, portos, ferrovias, hidrovias, aeroportos etc. Nossas “elites”, incapazes de romperem com suas crenças e degenerações, não podem confessar o próprio fracasso, e só podem mentir e torcer para que o dilúvio só chegue depois que já estiverem todos falidos. E ai sim seremos todos incompetentes !

 

Escrito por
Wander Jose Nepomuceno
SECRETÁRIO DE DESENVOLVIMENTO COMERCIO INDUSTRIA E MINERAÇÃO MUNICIPIO DE PARAUAPEBAS – PARÁ



 

 

Já sabe quem são os candidatos do seu estado pra eleições 2022?

AC AL  AM  AP  BA  BRASIL  CE  DF  ES  GO  MA  MG  MS  MT  PA  PB  PE  PI  PR  RJ  RN  RO  RR  RS  SC  SE  SP  TO 

Deixe uma resposta

Ofertas