Vale economiza mais US$ 2 Bi no S11D com desvalorização do real

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

A Vale reduziu novamente o orçamento do projeto S11D. A mineradora informou, ontem (4), que a nova estimativa é de US$ 14,4 bilhões, cerca de US$ 2 bilhões a menos que a última previsão, feita no fim de 2014. A redução foi motivada pela desvalorização do real em relação ao dólar, levando em conta que 90% das despesas futuras do projeto estão na moeda brasileira.

A informação consta de apresentação feita a analistas no “Analyst Tour S11D”.

Em dezembro do ano passado, a mineradora atualizou o orçamento de S11D para entre US$ 16 bilhões e US$ 17 bilhões, durante o Vale Day, em Nova York, devido à depreciação do real e de mudanças no escopo do projeto. Em relação ao orçamento original do projeto, de US$ 19,7 bilhões, a nova estimativa da Vale é 27% inferior.

Desde a última projeção da mineradora, o real desvalorizou mais 29% perante o dólar americano, fator que é negativo para empresas que lucram na moeda brasileira e mantêm empréstimos em moedas estrangeiras. No caso da Vale, que é uma grande exportadora, a depreciação aumenta a receita e diminui os custos em dólar.

Segundo apresentação publicada na quarta-feira no website da Vale, o total investido no projeto S11D neste ano chegará a US$ 9,4 bilhões. No ano que vem, a mineradora vai desembolsar mais US$ 2,6 bilhões, seguidos por US$ 1,6 bilhão em 2017, US$ 600 milhões em 2018 e US$ 200 milhões em 2019. Os valores foram todos injetados nas obras da mina, planta e logística.

Do orçamento total de US$ 14,4 bilhões, recém-atualizado pela mineradora, US$ 7,9 bilhões serão destinados a logística e US$ 6,5 bilhões para a mina e planta de beneficiamento. As contas da Vale foram feitas com base na cotação do dólar de R$ 3,50 em 2016, R$ 3,60 em 2017, R$ 3,70 em 2018 e R$ 3,80 em 2019.

A Vale informou, na apresentação, que as obras da mina e da planta estão com avanço físico de 75%, enquanto o ramal ferroviário, que vai ligar o projeto à Estrada de Ferro Carajás (EFC), tem 72% de avanço físico concluído. O projeto do porto onshore tem 66% de avanço físico e o porto offshore, 64%.

O projeto S11D está cumprindo com o cronograma e vai entrar em produção no ano que vem. A capacidade do empreendimento é de 90 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.

A apresentação com dados atualizados do projeto S11D, no site da Vale, está disponível neste link.

Fonte: Notícias de Mineração



 

 

Já sabe quem são os candidatos do seu estado pra eleições 2022?

AC AL  AM  AP  BA  BRASIL  CE  DF  ES  GO  MA  MG  MS  MT  PA  PB  PE  PI  PR  RJ  RN  RO  RR  RS  SC  SE  SP  TO 

Deixe uma resposta

Ofertas