Parceria da Vale com Unifesspa estimula estudo sobre cavernas em Carajás

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

O convênio de cooperação técnico-científica da Vale com a Universidade Federal do Sul e do Sudeste do Pará (Unifesspa) tem ampliado a produção científica sobre as cavidades naturais na Unidade Espeleológica de Carajás. A colaboração, que começou em 2011, produziu 15 trabalhos de conclusão de curso, oito projetos de iniciação científica, sete dissertações de mestrado e uma tese de doutorado, que está em andamento.

De acordo com a mineradora, os estudos têm o objetivo de aprofundar o conhecimento sobre os aspectos geológicos das cavidades naturais, identificar as características mineralógicas e geoquímicas dos espeleotemas, que são formações rochosas que ocorrem nas cavernas. Também é registrado os aspectos hidro geológicos e paisagísticos no entorno das formações.

Os dados técnico-científicos serão utilizados para aperfeiçoar a análise de classificação de relevância de cavidades, do ponto de vista geoespeleológico, que leva em conta o levantamento de dados qualitativos e quantitativos de atributos físicos das cavidades e do ambiente onde estão inseridas.

“Entre as muitas conquistas oriundas dessa parceria, podemos citar a qualificação dos estudantes e geólogos em um tema atual e importante para a mineração, até então pouco difundido no setor minerário”, afirma o coordenador do Programa na Unifesspa, professor Antônio Emídio de Araújo Santos Júnior.

  10 radares vão começar a funcionar em Canaã dos Carajás

“Com o apoio do projeto, tive a oportunidade de desenvolver meu trabalho de conclusão de curso e agora a dissertação de mestrado, em um tema que é extremamente relevante”, diz Alan Albuquerque, que foi estudante de iniciação científica do projeto e agora é mestrando na área de geoquímica da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Segundo a Vale, dez trabalhos apoiados pelo programa foram publicados no 14° Simpósio de Geologia da Amazônia (SGA), realizado em outubro, em Marabá (PA).

Após o término do convênio, o material coletado em campo será identificado, organizado, estudado e levado para as dependências da Faculdade de Geologia de Marabá e em Carajás. A expectativa, tanto da Vale, quanto da universidade, é de manter uma coleção para visitação pública. As informações são da assessoria de imprensa da Vale.

Portal Canaã com informações de NMB



 

 

Já sabe quem são os candidatos do seu estado pra eleições 2022?

AC AL  AM  AP  BA  BRASIL  CE  DF  ES  GO  MA  MG  MS  MT  PA  PB  PE  PI  PR  RJ  RN  RO  RR  RS  SC  SE  SP  TO 

Deixe uma resposta

Ofertas