Movimenta Pará abre inscrição para oficina gratuita de Direção de Arte em Canaã dos Carajás

Divulgação

Dos bastidores aos palcos, o projeto Movimenta Pará segue contribuindo para o fortalecimento, crescimento e profissionalização do mercado cultural paraense. Desta vez, anuncia a abertura das inscrições para a oficina gratuita de Direção de Arte em Canaã dos Carajás, no sudeste do estado. A ação, que integra iniciativa patrocinada pelo Instituto Cultural Vale, via Lei Federal de Incentivo à Cultura e que tem como objetivo fomentar a cultura na região é voltada para os profissionais que atuam nos bastidores de uma produção cênica, como cenógrafos, cenotécnicos, maquiadores, figurinistas, aderecistas, dentre outros.

A programação traz nomes de peso: Fernanda Vianna, Rodolfo Vaz, Afonso Camargo e Carlos Nunes. E não para por aí: os participantes terão também aulas online com a maquiadora Mona Magalhães e serão assistidos pelo artista plástico e cenógrafo Robson Lima.

O resultado das inscrições será divulgado no dia 15 de setembro, e a aula inaugural da oficina será no dia 20 de setembro, em formato online. As aulas presenciais acontecerão no período de 25 a 29 de setembro, das 19h às 22h, e no dia 30 de setembro,  das 9h às 12h e 14h às 17h.

O Movimenta Pará objetiva atuar no amplo escopo da cadeia criativa, contemplando artistas, produtores, gestores, técnicos de diversas linguagens e profissionais do setor administrativo que tenham interesse na profissionalização e promoção de suas carreiras.

As inscrições para oito vagas ofertadas seguem até 14 de setembro (quinta-feira), e as pessoas interessadas poderão se inscrever por meio do formulário disponível no link: https://forms.gle/XtD7CiG31n7cpyv3A. A oficina mescla aulas práticas e teóricas, nos formatos presencial e online. As aulas presenciais serão realizadas na Casa da Cultura de Canaã dos Carajás, localizada na Rua das Esmeraldas, 141, bairro Jardim das Palmeiras.

Quem são os ministrantes da oficina?

Fernanda Vianna é atriz e integrante do Grupo Galpão e participou de importantes espetáculos, como “Romeu e Julieta” no papel de Julieta, “Um Molière imaginário”, “Partido”, “Tio Vânia” como Helena, “De Tempo Somos” e “Outros”. É graduada em fisioterapia e trabalha como preparadora corporal com várias companhias teatrais. Em cinema atuou, entre outros, em “Moscou”, “Meu pé de laranja lima”, “O que se move” e os recentes “Lodo” e “Fogaréu”. Na TV participou das minisséries “Hoje é dia de Maria”, “Justiça” e do especial “O Natal de Rita” no papel da personagem-título. Fundou, com Rodolfo Vaz, a Oitis Produções Culturais, produzindo espetáculos premiados. Pelo filme “O que se move”, recebeu o prêmio de melhor atriz no Festival de Cinema de Gramado. Em 2023 dirigiu a ópera “Blue Monday” e “Afluentes” para o Theatro Municipal de São Paulo.

Rodolfo Vaz estudou teatro na Fundação Clóvis Salgado e estreou com o diretor Eid Ribeiro na peça “Bicho de pé, pé de moleque”, em 1981. Trabalhou com a Cia. Sonho e Drama na montagem de “Grande Sertão: Veredas”, em 1983. Participou de oficinas com a Theatre of Cumplicitè, em Londres, em 1987. No cinema participou de diversos longas. Na televisão atuou em seriados como “Hoje é dia de Maria I e II”, “O sítio do Picapau Amarelo”, “A teia”, “Capitu” e na novela “Amor de mãe”. Ganhou o Prêmio Shell de Melhor Ator por “Salmo 91”, além dos Prêmios de Melhor Ator pelas peças “Um Molière imaginário”, “Antes do silêncio” e de Melhor Ator Coadjuvante por “A Rua da Amargura”.

Afonso Camargo é artista plástico, tem grande importância para a arte e cultura no interior do estado. Residente na cidade de Parauapebas, Afonso acumula experiência no segmento cultural, com organização e participação em grandes eventos culturais na região, tendo sido também gestor da Secretaria Municipal de Cultura de Parauapebas (Secult). Atualmente, o artista desenvolve atividade de pesquisa artística junto à Cooperativa Mulheres de Barro, assim como tem atuado em projetos de cunho religioso, como construção de espaços e igrejas no que tange à arquitetura sacra.

Carlos Nunes é cenógrafo, figurinista e aderecista, graduado e Mestre em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – Unirio. Trabalhou com diversos diretores e companhias de teatro. Dentre os principais trabalhos destacam-se: “Lupita”, em 2020, com direção de Flávia Lopes; “Yago”, em 2019, com direção de Miwa Yanagizawa; o musical “Minha vida daria um bolero”, em 2018, com texto de Arthur Xexéu;  “A história das histórias”, em 2017, com direção de Flávia Lopes, que foi indicado ao Prêmio Zilka Sallaberry/2017 de melhor figurino; e “Agosto”, de Trace Letts, de 2018, com direção de André Paes Leme, que recebeu o prêmio de melhor cenografia na 13° Festa Internacional de Teatro de Angra (FITA).

 

Receba as notícias do Portal Canaã

Siga nosso perfil no Google News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *