O site da revista “Veja” divulgou ontem levantamento feito pela revista Congresso em Foco, informando que os senadores que mais faltaram às sessões no Senado, no ano de 2016, foram Jader Barbalho (PMDB-PA), com 62 faltas, e Rose de Freitas (PMDB-ES) e Fernando Collor (PTC-AL), ambos com 30 faltas.

De acordo com a “Veja”, como Jader Barbalho e Rose de Freitas passaram por problemas de ordem médica e se ausentaram dos mandatos, Collor é o senador que, mesmo com a saúde intacta, mais faltou às sessões. O ex-presidente justificou 25 das ausências alegando agendas parlamentares externas e deixou de explicar os motivos de cinco faltas.

O peemedebista paraense justificou 44 ausências, explicadas em parte por um tratamento de radioterapia no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, que o afastou da votação que afastou a ex-presidente Dilma Rousseff do cargo, em maio; a senadora capixaba, que justificou 18 faltas, sofreu um princípio de AVC e também passou por exames na capital paulista.

Apesar da licença médica, Jader Barbalho foi o senador que mais teve ausências injustificadas no ano passado: 18. Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Rose de Freitas deixaram de explicar os motivos de suas ausências nas sessões do Senado, respectivamente, em 17 e 12 ocasiões.

Além de Barbalho e Collor, os senadores que mais justificaram faltas foram Lídice da Mata (PSB-BA), com 25 ausências explicadas, e Zezé Perrela (PTB-MG), com 24. Segundo o Congresso em Foco, o mineiro atribui 23 faltas a atividades parlamentares, enquanto a socialista baiana tirou três licenças por motivo de saúde e faltou 11 vezes em cumprimento de agendas fora do Senado.

As 883 faltas totais dos senadores nas 91 sessões representam, de acordo com o Congresso em Foco, 14% do total, percentual equivalente ao de 2015. Do total de ausências, 656 (74%) foram justificadas e 232 (26%) não tiveram explicações pelos parlamentares.

Entre os 81 senadores brasileiros, apenas um compareceu a todas as sessões no Senado em 2016: José Reguffe (DF). Segundo levantamento publicado pela revista Congresso em Foco, o senador sem partido foi a todas as 91 reuniões para votação de projetos, medidas provisórias ou propostas de emenda constitucional (PECs) no plenário da Casa.

Waldemir Moka (PMDB-MS), José Pimentel (PT-CE) e Eunício Oliveira (PMDB-CE) tiveram apenas uma falta cada, enquanto os senadores Alvaro Dias (PV-PR), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Simone Tebet (PMDB-MS), Wellington Fagundes (PR-MT), Dalirio Beber (PSDB-SC), Fátima Bezerra (PT-RN) e Lasier Martins (PDT-RS), três ausências cada um. Com informações do Jornal O Liberal.