O prefeito diplomado de Marabá, Tião Miranda (PTB), deverá renunciar ao mandato conquistado nas urnas, em outubro, nesta sexta-feira, 30.

Inicialmente, as tentativas de Miranda desistir do mandato foram contidas pela sua base eleitoral, através de seguidas reuniões.

Apelos que partiram de vereadores eleitos, lideranças comunitárias e pessoas mais próximas fizeram o deputado estadual demover da iniciativa de abdicação do mandato.

Desde ontem, Tião Miranda recuou, outra vez, chamando seus amigos e auxiliares mais próximos para a comunicação, segundo quem esteve com ele, definitiva de não cumprir o mandato.

Pode até ser que o deputado estadual seja, outra vez, convencido a assumir a gestão municipal, a partir de 1o de janeiro, em político, tudo é possível.

Só que o clima  na residência do prefeito diplomado – onde reuniões vem ocorrendo em sequencias, nas últimas horas, é de pessimismo.

Neste momento, pessoas de extrema confiança do deputado, estão conversando com ele, fazendo apelos para que a renúncia seja repensada.

Miranda explica que, aos 60 anos, não estaria disposto mais a enfrentar as adversidades da política, principalmente num momento cujo qual o país enfrenta sua maior crise econômica, penalizando, principalmente, prefeituras com poucos recursos para fazer frente às demandas crescentes.

Ele também reflete sobre a necessidade de dedicar-se em tempo integral ao tratamento ao qual está sendo submetido, para cuidar de uma depressão que o atinge há meses.

Caso Tião Miranda decida mesmo pelo não cumprimento do mandato, o vice-prefeito diplomado Toni Cunha é quem assume o cargo. Com informações de Hiroshi Bogea.