O município de Parauapebas fica no topo da arrecadação. Todos os meses milhões de reais em royalties provenientes da atividade de mineração engordam os cofres públicos do município, neste ano o município já arrecadou mais de R$ 193 milhões de Compensação Financeira pela Exploração dos Recursos Minerais (CFEM). O município de Marabá que ocupa a segunda posição no ranking já arrecadou mais de R$ 43 milhões.

O município de Curionópolis que surgiu de dois povoados distintos, onde um deles formado no km 30 da rodovia estadual PA-275 hoje é a sede da cidade, o outro povoado é a “Vila dos Garimpeiros”, formada ao pé da Serra Pelada já arrecadou mais de R$   7 milhões , atualmente o município abriga o projeto de cobre Antas da mineradora Avanco Resources e o projeto de Ferro Serra Leste da mineradora Vale.

Enquanto o repasse de Curionópolis caiu em setembro 34% em relação ao recebido em agosto, o de Marabá subiu 13% a capital do minério como é conhecida à cidade de Parauapebas cresceu apenas 1%. Segundo o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Parauapebas recebeu na conta R$ 18,22 milhões (contra R$ 17,91 milhões em agosto); Marabá recebeu R$ 5,31 milhões (contra R$ 4,60 milhões em agosto); e Curionópolis viu na conta apenas R$ 442 mil (contra R$ 596 mil em agosto).

A mineração nestes municípios ocasionou a dependência econômica, fazendo com que quase a totalidade do mercado de trabalho dependesse da mineração.  Além da dependência econômica, a mineração apresenta outro fator negativo, a limitação de suas atividades. Isso quer dizer que uma mina possui um tempo limite para sua exploração. O esgotamento de uma jazida, quase sempre resulta em desemprego e subutilização da infraestrutura implantada.

Redação Portal Canaã