47% dos que votariam em Lula estudaram só até o ensino fundamental, aponta DataFolha


Ameaçado de ficar fora da disputa presidencial em outubro após ser condenado em segunda instância pela Justiça, o ex-presidente Lula desponta como nome preferido dos brasileiros se o 1º turno da eleição fosse hoje e seu nome estivesse na urna eletrônica.

No cenário sem o petista, o deputado Jair Bolsonaro (PSC) lidera as intenções de voto. Possível substituto de Lula pelo campo petista, Jaques Wagner atrai pequena parte do eleitorado lulista. Os presidenciáveis alinhados à gestão Michel Temer (PMDB), Rodrigo Maia (DEM) e Henrique Meirelles (PSD), equiparam-se a Wagner e não alcançam 5% da preferência dos brasileiros quando seus nomes são testados. Apontado como nome de fora da política partidária tradicional para a disputa pela Presidência, Luciano Huck (sem partido) tem intenção de voto similar a Geraldo Alckmin (PSDB) no cenário sem o ex-presidente. Na ausência de Lula, destaca-se a alta significativa de intenção de votos nulos ou em branco, que oscila de 24% a 32%, dependendo dos nomes consultados.

A preferência por Lula fica acima da média entre os brasileiros que estudaram até o ensino fundamental (47%), na parcela dos mais pobres, com renda mensal familiar de até 2 salários (47%) e nas regiões Norte (46%) e, principalmente, Nordeste (60%). A pré-candidatura de Bolsonaro vai melhor entre os homens (25%) do que entre as mulheres (11%), e o deputado também ganha destaque na fatia dos mais jovens (27% na faixa de 16 a 24 anos, ante 38% de Lula), entre os brasileiros com ensino superior (25%, ante 23% de Lula) e na parcela com renda média-alta, entre 5 e 10 salários por família (30%, ante 24% de Lula). No grupo dos que tomaram conhecimento das denúncias da Folha sobre o aumento do patrimônio de Bolsonaro desde seu ingresso na Câmara dos Deputados, não há alteração significativa em sua intenção de voto, que fica em 22%.

Redação/Portal Canaã com informações do DataFolha

COMENTE VIA FACEBOOK