S11D ‘abala’ as estruturas da balança comercial do país


TCLD - Transportador de Correia de Longa Distância - 9 Km / Vale

Foi dada a largada na disputa pelo topo da produção de minério de ferro no Brasil, atualmente comandada pelo município paraense de Parauapebas. Como a Associação Paraense de Engenheiros de Minas (Assopem) havia antecipado no começo deste ano, o município de Canaã dos Carajás daria um salto, e agora o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) acabou de confirmar que Canaã praticamente “atropelou” Marabá (já tinha feito isso em janeiro) e, também, Barcarena (em fevereiro). O motivo é simples: a entrada em operação do projeto S11D no final de 2016 e o seu avanço de produção desde então movimentaram as estruturas da balança comercial, mudando a posição de vários municípios, dentro e fora do Pará, para dar passagem à Canaã dos Carajás.

Hoje, Canaã segue firme rumo à liderança nacional das exportações no país. O avanço do município é verificado no acumulado dos meses de janeiro e fevereiro.

Parauapebas, que outrora foi o 1º do Brasil em exportações, agora caiu para o 5º lugar. Já Canaã, que há dois anos era o 100º, agora subiu de maneira arrebatadora para a 14ª posição. Este ano, a conhecida “Terra Prometida” figura como o segundo município brasileiro que mais progride em transações comerciais, sendo superado apenas pelo gaúcho São José do Norte, que despontou em razão de plataforma da Petrobras.

Com o ritmo crescente de Canaã, os municípios de Barcarena e Marabá foram empurrados um posição abaixo no ranking dos maiores exportadores. Barcarena, com sua poderosa indústria de alumínio, está na 16ª colocação, enquanto Marabá, que é o maior produtor de cobre do país e uma das maiores praças de carnes bovinas do estado, ocupa a 28ª colocação. (Assopem)

COMENTE VIA FACEBOOK

Sem opiniões

Escreva:

O seu endereço de e-mail não será publicado.