Aproveitar os pequenos bons momentos que temos em conjunto com as pessoas ao nosso redor é algo muito importante, mas muitas vezes esquecido. Se levantarmos nosso olhar e tirarmos o foco no nosso umbigo, podemos nos deparar com um mundo cheio de cores e sabores, esperando para ser descoberto. Não há lugar mais adequado para a experiência da descoberta acontecer do que o espaço público, onde podemos nos sentir cidadãos integrantes de um ambiente maior.

Eu sinto um grande prazer ao ver o espaço público sendo aproveitado pela população, sem as barras do medo ou do individualismo. A população se empoderar do espaço público nos diz muita coisa a respeito dela mesma. O primeiro ponto que podemos perceber é que o interesse em ser integrante da cidade é algo maior do que o medo de alguma violência urbana que com frequência nos aprisiona dentro das nossas casas, onde os muros nos dão a ilusão de serem os grandes protetores de qualquer coisa que seja diferente.

Discussão sobre filmes na biblioteca Orlando Lima Lobo de Marabá, que no momento se encontra fora de funcionamento.

Discussão sobre filmes na biblioteca Orlando Lima Lobo de Marabá, que no momento se encontra fora de funcionamento.

Em seguida podemos perceber também sobre os interesses e a interação da sociedade, o espaço que ela teve para se descobrir ser formada por pessoas com pontos comuns de debate e para interagir com “o outro”, iniciar amizades. Esse “quebrar de muros” não é apenas uma ótima distração, mas também é algo saudável, nos distancia da solidão e aumenta nosso conhecimento de mundo ao nos tirar algumas idéias preconcebidas (tem motivos a palavra “bias”, do inglês, estar tão na moda).

As atividades encontradas em espaços públicos podem ser relacionadas com dança, culinária, debates, um espaço de leitura para os pequenos…. E aí podemos ver mais um ponto que nos fala sobre a comunidade, a qualidade da programação sócio cultural que a mesma produz. Uma comunidade se torna mais e mais criativa ao encontrar exemplos que lhe mostrem possibilidades.

O que faz a torre Eifell tão bonita na verdade não é a construção metálica, bem como o parque Ibiraquera não é tão querido por estar ao redor de um mar de concreto, mas esses locais se destacam pois a área ao redor é cheia de vida a acontecer, por proporcionar encontros de tantas pessoas que circulam todos os dias em tais lugares. O espaço público é indispensável para o crescimento local saudável.

Uma sociedade que se empodera dos seus espaços públicos não é apenas vítima da distante mão invisível do governo, ela é participante e dita seus interesses. Nos motivarmos a sermos cidadãos integrados, moldarmos nossa cidade para que ela seja um lugar com vida, quebrar muros e integrar o diferente na comunidade, conhecer novas culturas, promovendo uma troca de influências e desenvolver nossas habilidades em atividades que vão deixar um impacto positivo na sociedade é algo muito prazeroso e mais fácil do que pensamos! Só precisa do primeiro passo, toma a iniciativa e me fala do resultado!

Por.

Ana Rosa R. de Lima – Eng. de Materiais da Unifesspa, doutoranda na Universität Duisburg-Essen e colunista do Portal Canaã