A Polícia Civil divulgou nesta terça-feira, 17, a apreensão de aproximadamente 2.200 mídias piratas e a desarticulação de um esquema de comércio ilegal de drogas, no município de Canaã dos Carajás. As apreensões foram realizadas em duas operações policiais deflagradas no município. Duas pessoas foram presas em flagrante. Uma delas pela venda ilegal das mídias e a outra pelo crime de tráfico de drogas e corrupção ativa.

No ultimo sábado, 14, após receber uma denúncia anônima, a equipe policial foi até o lado externo do Mercado Municipal para apurar possível venda ilegal de mídias piratas. No local, foram recolhidas 2.200 mídias piratas. Os agentes realizaram a prisão em flagrante de Cleilson Silva Oliveira, responsável pelos produtos. Cleilson Silva vai responder pelo crime previsto no artigo 184, do Código Penal, por reprodução total ou parcial, visando lucro direto ou indireto, distribuir, vender, expor à venda, alugar, introduzir no País, adquirir, ocultar, ter em depósito, original ou cópia de obra intelectual ou fonograma reproduzido com violação do direito de autor, do direito de artista intérprete ou executante ou do direito do produtor de fonograma, sem a expressa autorização dos titulares dos direitos ou de quem os represente.

Tráfico

Outra prisão, que também contou com a ajuda de denúncias anônimas, foi a de Felipe Viana Cordeiro, que ocorreu nesta terça-feira, 17. Ele é acusado de cometer o crime de tráfico de drogas, no município de Canaã dos Carajás. Segundo o delegado Thiago Carneiro, que coordenou as operações, Felipe Viana vendia drogas próximo à Rodoviária Municipal. “Um grupo de policiais civis realizou campana no local e comprovou o ato ilícito de venda de drogas. Os suspeitos, ao serem abordados pelos agentes, fugiram do local”, detalhou o delegado.

Segundo ele, os policiais conseguiram capturar Felipe Viana, que era o responsável por repassar as drogas e receber o dinheiro. “O suspeito ainda conseguiu engolir parte da droga”, relata. Com o acusado, foram apreendidas apenas duas petecas de “crack”. O delegado Thiago Carneiro informou que Felipe Viana ofereceu a quantia de R$ 2 mil aos policiais civis Roberto de Sousa Silva e Alexandre de Oliveira, com objetivo de não ser preso. Neste momento, foi dada voz de prisão conta Felipe Viana, que vai responder pelos crimes de tráfico de drogas e corrupção ativa. Com informações da Polícia Civil.