A implantação e proteção do Parque Nacional dos Campos Ferruginosos, localizado nos municípios de Canaã dos Carajás e Parauapebas, ficará sob responsabilidade da mineradora Vale, como medida de compensação para a licença para operar o Complexo S11D Eliezer Batista. A iniciativa é fruto de decreto assinado pelo governo federal no dia 5 de maio.

Considerada a mais nova unidade de conservação da natureza, o Parque Nacional dos Campos Ferruginosos, tem área total de 79.029 hectares, abrangendo os municípios de Canaã de Carajás (82,9%) e Parauapebas (17,1%). O parque fica colado à Floresta Nacional (Flona) de Carajás e já nasce com potencial de 200 mil visitantes, ou seja, a população de Parauapebas e região que costuma frequentar a área de uso público da Flona, incorporada ao parque.  Além do meio-ambiente, o turismo sai ganhando com o surgimento do parque nacional.

A região é coberta por florestas e, principalmente, por savanas conhecidas como vegetação de canga ou campos rupestres ferruginosos, tipo raro de ecossistema associado aos afloramentos rochosos ricos em ferro. O local é repleto de ambientes aquáticos, com cachoeiras boas para banho, e cavernas. Abriga espécies da fauna e flora endêmicas (só existentes no local) e ameaçadas de extinção.

A unidade de conservação ficará localizada nos municípios de Parauapebas e Canaã dos Carajás. Foto: Jakson Fontes

A preocupação do Instituto Chico Mendes, a partir de agora, é dotar a unidade de toda a estrutura necessária para garantir a conservação desses singulares ecossistemas em sintonia com as atividades de visitação, recreação na natureza e turismo ecológico, próprias dos parques nacionais. Para isso, contará com o apoio da mineradora Vale conforme Licença de Instalação (LI) 947 do Ibama e termo de compromisso assinado entre a empresa e o ICMBio.

“Nosso maior desafio é conviver com a área externa à Floresta Nacional de Carajás neste momento inicial de implementação do parque, que prevê desapropriações, instalação de estruturas, reconhecimento dos limites. A gente (o ICMBio) já tem apoio da Vale para conseguir estabelecer essa unidade de conservação”, disse Paulo Carneiro, diretor de Criação e Manejo do ICMBio, ao lembrar a importância das parcerias na gestão e consolidação das UCs.

A região de Carajás tem uma das maiores reservas minerais do planeta e é coberta por florestas e savanas que, segundo o Ministério do Meio Ambiente, representam um “tipo raro de ecossistema, associado aos afloramentos rochosos ricos em ferro”.

Mapa do Parque com 79.029 mil hectares que será criado em meio à extensa área verde do estado do Pará

Da Redação.