No segundo dia de Diálogo Municipalista, promovido nessa sexta-feira(11), em Belém, prefeitos, secretários e técnicos da educação tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas sobre a gestão da educação. O evento reuniu gestores de vários municípios dos estados do Amapá, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

O planejamento e a atenção ao financiamento da Educação foram amplamente discutidos. Entre as dificuldades que os municípios enfrentam estão a quantidade de recursos escassos. “Nós temos dificuldades com o próprio Governo do Estado, pois transportamos alunos do da rede estadual e o financiamento disso é bem aquém das nossas despesas, ou seja, mais uma vez os municípios tem que colocar recursos próprios e isso não só como o transporte escolar, como em outras áreas também”, disse o presidente em exercício da Famep e prefeito de Santarém, Nélio Aguiar.

Outra dificuldade dos prefeitos e prefeitas que iniciaram a gestão em 2017 são as obras paradas, deixadas pelos antigos gestores. “Eu peguei quatro creches inacabadas, mas a gestão anterior usou 80% do recurso das obras e eu não tenho como terminar com 20%”, declarou o prefeito de Breu Branco, Francisco Garcês.

Vereadores 

Durante o Diálogo Municipalista, os vereadores tiveram um momento especial, no qual puderam conversar sobre a autonomia política, administrativa e financeira do município e o papel desse representante político da população.

Para a vereadora de Capitão Poço, Andrea Cardoso, o momento foi de aprendizado. “O Diálogo Municipalista foi uma experiência incrível, pois para mim o vereador não é somente um legislador, ele é também um propositor de ações. Todas as informações discutidas são importantes não só para o meu mandato como para o meu município”, avaliou.

Segundo ela, é preciso que os vereadores busquem ampliar suas atuações para realmente cumprirem a responsabilidade para a qual foram escolhidos. “Eu percebo que os vereadores estão ainda muito preocupados num ramo de atuação, que é a manutenção das vias e deixam de lado as demais áreas. Eu percebo a necessidade do vereador vir em busca de conhecimento inovador, de sair dessa monotonia dessa cartilha que há muito tempo foi escrita”, destacou Andrea.

O vereador de Santa Isabel do Pará, Virgílio Santos, em segundo mandato, considerou o Diálogo um momento de reciclar conhecimentos. “A gente aprende a compreender mais sobre as dificuldades enfrentadas pelos prefeitos. Não vou deixar de cobrá-lo, mas vou também apontar soluções para buscar mais recursos para o município”, afirmou.

Diálogo Municipalista

O evento foi promovido pela Confederação Nacional dos Municípios(CNM), com apoio da Federação das Associações dos Municípios do Estado do Pará(Famep), Associações e Consórcios Regionais. Esta é a quinta edição do Diálogo Municipalista, iniciativa que tem a proposta de promover debates sobre as realidades dos municípios regionalmente em todo o país.