A união está mudando o destino de Canaã dos Carajás. Há quatro anos, as comunidades do município, o poder público e a Vale estão de mãos dadas traçando estratégias de transformação da cidade em um lugar mais agradável de viver. O fio condutor desta ciranda é o Comitê de Educação Ambiental, uma experiência inovadora com capacidade de dar voz a pessoas como Manoel Mendes da Silva, integrante desta iniciativa.

Morador há 16 anos da Vila Feitosa, zona rural de Canaã, ele se dedica à garantir as transformações que julga importante para o coletivo. Ele é uma das primeiras lideranças comunitárias envolvidas no colegiado e sua aparência tranquila deu espaço para uma inquietação natural em ver a cidade no rumo do desenvolvimento sustentável.

Com apoio, orientação e cursos de capacitação recebidos nas atividades do Comitê de Educação Ambiental, estimulando o associativismo, um dos sonhos dele foi realizado: a criação da Associação Comunitária Vila Feitosa. A entidade garante melhorias, entre elas a recuperação da nascente de água da comunidade. A pouca água, quase escassa, tem aumentado a cada dia em razão do trabalho contínuo de técnicos e de parceiros, que já transformaram a região em Área de Proteção Permanente, com a plantação de mudas nativas que devem agir no processo de assoreamento do córrego.

Idealizada a partir de reuniões do Programa de Educação Ambiental da Vale, o Comitê tem dado certo porque seguiu, desde a concepção, à risca, a então recém-elaborada instrução normativa n°2 do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que prevê o uso da educação ambiental como ferramenta de transformação da vivência em comunidade.

Para Nívia Costa, analista de Sustentabilidade da Vale, da equipe responsável pela implantação do Comitê de Educação Ambiental de Canaã, a história de Seu Manoel é exemplo de como o programa tem poder de dar autonomia e empoderamento às pessoas da cidade.

Acesse vale.com/ladoalado para conhecer mais esta história.