Pacientes em Canaã dos Carajás estão com dificuldades de encontrar medicamentos e marcar exames nas unidades de saúde. Além disso, médicos que trabalham na Secretaria de Saúde já falam em abandonar seus postos de trabalho, pois em uma atitude que transgride a Constituição Federal, que em seu artigo 37 prevê a irredutibilidade salarial, o executivo encaminhou uma minuta de Lei para a Câmara, modificando a legislação que trata do pagamento de plantões médicos, reduzindo o valor pago por plantão.

O Sindicato dos Médicos do Pará parabeniza os diversos vereadores de Canaã dos Carajás, que em reunião ordinária no último dia 24 decidiram não aprovar o projeto do Executivo Municipal, que prevê a redução dos vencimentos do plantão médico, sem uma ampla discussão com a categoria e análise do orçamento do Município.

De acordo com o Sindmepa  o  projeto de Lei, foi encaminhado pelo Executivo à Câmara Municipal, sem uma prévia discussão com a categoria médica, o que gerou de pronto uma enorme insatisfação entre os profissionais, que já vivem sob precárias condições de trabalho.

Em 2016, o Hospital Municipal Daniel Gonçalves foi completamente reestruturado e ampliado, ganhou novos consultórios, salas de parto, ala cirúrgica e recepção. A obra foi realizada em parceria com a mineradora Vale, e permitiu quase dobrar a capacidade de atendimento da unidade. Mas desde o inicio deste ano as criticas são constantes na saúde pública da terra prometida, como é conhecida a rica cidade de Canaã dos Carajás, que abriga a  maior mina de minério de ferro do mundo.

A equipe de reportagem questionou sobre a falta de  exame de imagem como ultrassonografia e as especialidades medicas cardiologia, neurologia e psiquiatria  e a assessoria de comunicação da prefeitura de Canaã, informou que a Secretaria de Saúde  tomou uma medida provisória e infelizmente foi necessário fazer alguns cortes nos serviços questionado pelo Portal Canaã. Ainda segundo a assessoria de comunicação, foi devido ao ajuste de receita que a prefeitura vem fazendo, mas tão logo a secretaria irá tentar normalizar a situação.

Da Redação.