Segundo informações do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e a Diretoria de Procedimentos Arrecadatórios – DIPARno mês de Dezembro Canaã dos Carajás recebeu R$ 1.4 milhões em Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais -CFEM , que se convencionou chamar também de royalties da mineração, um total de  432.670,56 a menos que em Novembro, que corresponde uma queda de  22,86% a economia municipal. Estamos tratando os valores distribuídos ao município após a arrecadação, onde 23% fica com o estado, 12% com a União e 65% ao município.

Em todo o ano de 2016 o município recebeu um total de R$19.407.050,22 em compensação pelas explorações minerais, o que representa, também, um queda de 20,99% com relação a 2015, que finalizou o ano com R$24.562.652,49.

A equipe de reportagens do Portal Canaã realizou uma consulta completa referente aos meses anteriores deste ano, 2016, e identificou que em Março foi o mês que a “terra prometida” recebeu o maior valor de CFEM. Conforme consulta no Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) o valor chegou a R$ 2.933.257,47.

Ranking

O município de Parauapebas, lidera a arrecadação de royalties provenientes de extração mineral em 2016 no Pará. De janeiro a Dezembro deste ano, a cidade com atuação predominante da Vale recebeu exatos R$ 186.616.603,85 , com a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM).

No ranking estadual, seguem em segundo lugar o município de Marabá com R$ 46.778.312,38 , em razão da mina de Salobo (cobre), também da Vale e da mineração Buritirama (manganês); depois vêm Paragominas com bauxita com R$ 34 milhões; Canaã dos Carajás com R$ 19 milhões (cobre/ouro/Vale) e os municípios de Oriximiná (bauxita) R$ 18 milhões e Terra Santa (bauxita), R$ 10 milhões.

Equipe de Redação do Portal Canaã