De principal polo de atração de emprego a cidade que mais cortou vagas. Em apenas 1 ano a realidade de Canaã dos Carajás, que dispõe do maior projeto de minério de ferro da história da mineradora Vale, que em 2015 apontava para expansão econômica e mudanças, agora é marcada pelo crescente pessimismo da população, afetada pelo baixo crescimento econômico do país.

Mesmo com o nono maior Produto Interno Bruto (PIB) do estado, 2,26% do PIB do Pará a cidade amarga altos índices de desemprego. No mês de novembro a cidade contratou apenas, 391 empregados e registrou alarmantes 1.056 desligamentos.

Em 2016, a cidade já perdeu 12.636 vagas. O fim das obras no Complexo S11D Eliezer Batista, comercio em crise e a falta de oportunidades de qualificação estão entre os fatores apontados para a desaceleração sentida na cidade. Vagas de emprego se desfizeram, sonhos estão sendo destruídos.

A falta de qualificação é um dos fatores que dificulta a absorção dos trabalhadores, tanto no comercio local, que deveria ser forte no município, quanto no maior empreendimento privado da década Complexo S11D Eliezer Batista, e se torna um ponto a mais de preocupação. Em conversa com alguns moradores de bairros distantes do centro da Terra Prometida, muitos afirmaram que existe uma dificuldade para conseguir chegar no centro da cidade, devido à falta de transporte coletivo de qualidade. O curioso é que Canaã não tem uma rodoviária. Em vez de um terminal, a população e os turistas têm apenas disponível um espaço improvisado para comprar a passagem e aguardar o coletivo.

O dinheiro não circula como deveria em Canaã dos Carajás, os empresários observam as vendas despencar e hoje o setor imobiliário está à espera de um novo sopro de benignidade. As pequenas e médias empresas perderam receitas, e os custos foram às alturas, muitos clientes costumam fazer compras em Parauapebas.

Este tem sido um ano de mudanças radicais em Canaã dos Carajás, mas o prefeito reeleito Jeová Andrade (PMDB),  investiu em asfalto, lombadas e prédios não conseguiu faculdades, pólo industrial, programas habitacionais, área de lazer e deixou de investir em eventos o que prejudicou as vendas dos empreendedores.  Neste sábado (31), terá réveillon na praça devido a liga carnavalesca. Muitas empresas tiveram que mudar de endereço, pois os aluguéis subiram bastante, outras, simplesmente fecharam as portas.

Redação do Portal Canaã